domingo, 26 de outubro de 2008

As Mensagens dos Círculos nas Colheitas


“Círculos nas colheitas” é um termo usado para referir os conjuntos de figuras geométricas desenhadas em grandes campos de cultivo. Estas figuras são melhor observadas de um ponto alto, fazendo pouco sentido quando observadas ao nível da plantação.
O círculo na colheita mais antigo que foi registado está representado numa gravura do século XVII intitulada de “O Demónio Ceifador”. A imagem representa uma criatura estranha que cria um desenho circular num campo de trigo. Este fenómeno enigmático foi observado em vários países de todo o mundo, começando pela Inglaterra na década de 1970. A partir daí passou a ser mais conhecido e a ter uma maior repercussão mediática.
Têm-se especulado várias opções para a procedência dos círculos. Alguns defendem que estas formações são de origem extraterrestre e sugerem que eles não estão tentando comunicar connosco a nível consciente mas sim a um nível mais profundo. Os círculos seriam mensagens codificadas em símbolos, tendo a função de, entre outras, despertar potenciais no inconsciente colectivo da humanidade. Outros sugerem que as figuras foram realizadas durante a noite por humanos, sem serem vistos. Uma última explicação é a de que os círculos foram criados por acção do vento e de outras causas atmosféricas. Esta hipótese parece ser pouco credível uma vez que existem padrões altamente organizados e inteligentes, que não poderiam ser criados pelas forças da natureza.
Em 1991, dois ingleses, Doug Bower e Dave Chorley, apareceram na imprensa dizendo que teriam sido os autores dos círculos. De facto, eles provaram que podiam fazer círculos simples com uma corda e uma tábua, só que quando questionados sobre como teriam feito os círculos mais complexos, eles pareciam não dar uma resposta muito convincente. Não é realmente difícil fazer esses círculos estando equipado de cordas, marcadores que brilham no escuro e GPS (e já existem grupos formados com esse objectivo), mas é bastante improvável que seres humanos consigam fazê-los em tão grande número, com tanta precisão e em tão pouco tempo, sem serem descobertos. Mais um aspecto importante é o facto de nunca conseguirem reproduzir, na frente de toda a gente, a perfeição dos círculos que eles alegam ter feito anteriormente.
Sabe-se hoje que cerca de 90% dos círculos genuínos surgem quase sempre nas mesmas áreas, ano após ano, e invariavelmente sobre ou muito perto de sítios arqueológicos de milhares de anos de idade. Geralmente aparecem no verão, no início da época de colheita, em locais onde as linhas magnéticas da Terra se cruzam. São em lugares amplos, abertos e de fácil acesso. Nessas épocas várias pessoas acampam para observar os campos à noite e já aconteceu aparecerem desenhos complexos numa noite apenas, a poucos quilómetros de onde os pesquisadores estavam acampados e ninguém se ter apercebido de nenhuma movimentação por perto.
O trigo encontrado nos campos de cultivo tem sido objecto de estudo com o objectivo de descobrir a procedência destas formações. Nos círculos considerados genuínos, as plantas são dobradas sem vincos e sem quebras e continuam a crescer na mesma direcção. Também não se verificam pegadas humanas nem marcas de pneus de automóveis. As plantas dentro do círculo são afectadas por um tipo de radiação que as fazem aquecer de dentro para fora, como se estivessem num microondas, existem ainda outras anomalias, tais como alterações químicas, sementes alteradas geneticamente, etc. Algumas pessoas relatam, ainda, sentir estranhas sensações ao aproximarem-se dessas formações. É também conhecida, nos campos de cultivo, a presença de estranhas bolas de luz e alguns defendem que são esses objectos inteligentes que criam as figuras. O avistamento de luzes estranhas no céu na proximidade destes círculos levou a que muitos investigadores associassem as formações geométricas nas colheitas com o fenómeno OVNI.
Segundo investigadores, alguns dos desenhos encontrados em Inglaterra e em outros países estão relacionados com calendários e profecias de antigas culturas nativas americanas. Recentemente, um pesquisador de círculos mostrou um desses desenhos a um chefe de uma tribo hopi, uma tribo indígena norte-americana, e para seu espanto, o chefe mostrou-lhe que tinha algo de muito semelhante, algo que fazia parte da tradição e profecias de seus antepassados. Ele explicou-lhe que, na opinião dele, estes círculos são avisos dos “deuses” para uma época de grandes mudanças na Terra.
Para além de haver uma ligação entre o fenómeno dos círculos e a simbologia esotérica antiga, foram também reconhecidos possíveis mapas das estrelas ou astronómicos e alinhamentos planetários (um exemplo disso são formações que indicam a posição dos planetas em 21 de Dezembro de 2012). Em 2004, na Grã-Bretanha, em Silbury Hill, perto de Stonehenge, foi descoberto um controverso círculo, extremamente bem elaborado, de proporções enormes e de alguma complexidade. Na opinião de vários especialistas na matéria, esta figura faz uma directa referência ao calendário Maia e aos seus símbolos. Este majestoso círculo de mais de 150 metros de diâmetro evoca irresistivelmente a simbologia dos antigos calendários Maia e Azteca, apontando para o final desta era e para mudanças dramáticas na Terra.
Apesar de vários destes círculos serem fraudes criadas por humanos, muitos deles parecem também ser genuínos, com características que os distinguem claramente e que os tornam credíveis. Este é, portanto, um fenómeno intrigante e que merece toda a nossa atenção e estudo. As formações geométricas parecem querer transmitir-nos uma mensagem importante, talvez apelem para uma mudança no comportamento do ser humano e nos deixem um aviso de que uma grande transformação estará prestes a acontecer.


Link:
http://www.cropcircleconnector.com/interface2005.htm

Vídeos:



Sem comentários: